Dizem que Janeiro é o mês mais depressivo do ano, logo a abrir, e percebe-se porquê.

Depois das luzes, emoções ao rubro e sugar high das festas, entramos em mês de lutas pelas resoluções (e quantas vezes os seus falhanços e a percepção de que andamos às voltas na vida sempre com as mesmas falhas), dietas (e sugar craving de subir às paredes) e inverno que sem as luzes de Natal já não tem piada nenhuma, é apenas frio, escuro e húmido.

O que podemos fazer para nos protegermos deste blues?

1 | Apanhar sol no toutiço: este ano não temos do que nos queixar, o início do ano está de um sol radioso que nos aquece a alma, por muito que o frio nos atinja os ossos. É aproveitar as poucas horas de dia – que ainda assim são cada vez mais longas, yay!! – e ir lá para fora, chamar o sol, apanhar uns raios de luz preciosa e absorver ao máximo essa energia vital que só o astro rei nos dá. Obrigada Janeiro.

2 | Alimentarmo-nos bem. Não pensemos em dietas, em perder os quilos a mais, pensemos antes em nutrir o nosso corpo amado com coisas boas. É despachar todos os restos das festas (mesmo que sendo comendo-as, eu sei…) e encher despensa e frigorífico apenas de alimentos reais e nutritivos. Mesmo que tenhamos um sugar craving maluco, comer coisas boas, mesmo que alarvemente, mesmo que a altas horas, é sempre melhor do que comer caca ou sofrer até rebentar e comer este mundo e o outro. Eu ando a dar-lhe forte em Sauerkraut, rebentos de feijão mungo em lata, tremoços e pasta de óleo de coco, avelãs e cacau, e a mais não sou obrigada.

3 | Vermo-nos bonitas por fora. Maquilharmo-nos, fazermos um esforço para vestirmos aquele vestido giro (e colorido! nada como roupa garrida para nos por para cima!), aquela boina, aquela echarpe, é olharmo-nos ao espelho e gostarmos do que vemos: a nós, giving a fuck for ourselves.

4 | Exercitar o corpo. Eu sei, é horrível pegar em nós no Inverno e ir fazer exercício. Está tanto frio, bolas! Mas vale a pena. E não estou a falar de ficar em forma para o Verão (apesar de ser uma boa visão de futuro), mas sim das endorfinas maravilhosas que libertamos quando aceleramos o coração e pomos o corpo a mexer. Mente sã em corpo são é uma realidade. E sentirmo-nos umas super mulheres com super power depois de malhar meia hora não é um sentimento de se deitar fora… Eu continuo por casa a fazer o meu yoga ginasticado, mas este ano quero mais do yoga.

5 | Cultivar a mente. Aproveitar o frio lá fora para nos enrolarmos em mantas quentinhas com aquele livro que tanto queremos ler. Por de lado o raio do telemóvel cheio de redes sociais e voltarmo-nos para nós, para o nosso cházinho quente, um silêncio raro ou uma boa música e perdermo-nos no papel. Mais não seja à noite, em vez da TV e do raio do telemóvel para chamar o sono, ao deitar. É como tenho acabado os dias e conto as horas, mesmo que fique a preguiçar no sofá… Mesmo porque, além de cultivar a mente, chama o sono, mais um factor fundamental para no dia seguinte acordarmos muito mais bem dispostos e enérgicos!

Facebook Comments

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.