Decorar a mesa de centro da sala de estar (ou um aparador baixo da televisão, ou uma mesa de apoio, para quem, como eu, não tem mesa de centro da sala…) com livros grandes, lindos e inspiradores, diz muito da nossa personalidade, gosto e interesses e traz uma dimensão cultural à nossa decoração. Aqui ficam cinco sugestões perfeitas:

Este slideshow necessita de JavaScript.

Lee, da Assouline, que retrata na primeira pessoa a vida fascinante da irmã mais nova de Jackie Kennedy, Lee Radziwill (de quem já tinhamos falado aqui). Na sua busca por privacidade e liberdade numa vida vivida aos olhos do público, Radziwill compartilha a sua perspectiva única enquanto testemunha da História, lembrando as numerosas figuras culturais que contou entre os seus amigos, de Rudolf Nureyev a Truman Capote, bem como momentos tranquilos passados com os seus filhos em Londres e Nova York. Cheio de pequenas histórias e fotografias pessoais, Lee é uma reflexão íntima sobre o mundo de Radziwill.

Este slideshow necessita de JavaScript.

Women, de Slim Aarons. Na verdade, qualquer livro do fotógrafo Slim Aarons.

Women explora o tema central da carreira de Slim Aarons, as mulheres extraordinárias dos escalões superiores da alta sociedade, das artes, da moda e de Hollywood. O livro apresenta as mulheres que mais influenciaram a vida e o trabalho de Slim e outras personalidades notáveis que fotografou ao longo da sua carreira, incluindo Audrey Hepburn, Jackie Kennedy, Diana Vreeland e Marilyn Monroe, todas apresentadas em fotografias inesquecíveis. A coleção contém mais de 200 imagens, a maioria das quais não apareceu em livros anteriores, além de legendas detalhadas escritas por um dos colegas mais próximos de Slim. Apresentando as mulheres mais glamourosas em alguns dos locais mais deslumbrantes do mundo, Women de Slim Aarons é uma nova visão do aclamado fotógrafo através das musas que inspiraram as suas fotografias mais incríveis.

Este slideshow necessita de JavaScript.

Tom Ford. Cada página deste livro maciço reflecte o gosto excepcional do criador norte-americano. É o testemunho de Ford de uma carreira de momentos singulares, neste caso na sua reinvenção da Gucci e YSL, reinventando as fronteiras de estilo e sensualidade nas roupas.

Este slideshow necessita de JavaScript.

This Is Home, de Natalie Walton. This Is Home fala-nos sobre uma vida simples, como focarmos nos nossos valores para criar lares autênticos, cheios de significado e alegria. Natalie Walton entra em quinze casas em todo o mundo para conhecer as pessoas que as criaram e descobrir se existe alguma universalidade no que nos faz felizes nos espaços que habitamos. Cheio de belas fotografias, transportando histórias e conselhos práticos, This is Home lembra e inspira-nos a nutrir o espaço que ajuda a tornar a nossa vida possível.

Este slideshow necessita de JavaScript.

Monet, Le Triomphe de L’Impressionism. Nenhum outro artista, além de J.M. W. Turner (outro pintor maravilhoso para expor na nossa sala), tentou tanto quanto Claude Monet (1840-1926) capturar a própria luz na tela. De todos os impressionistas, era o homem que Cezanne chamou de “apenas um olho, mas meu Deus, que olho!”, tendo-se mantido firme no princípio da fidelidade absoluta à sensação visual, pintando diretamente a partir do objecto. Pode dizer-se que Monet reinventou as possibilidades da cor.  Esta biografia faz plena justiça a este artista absolutamente notável e profundamente influente e oferece inúmeras reproduções e fotos de arquivo, além de comentários detalhados e perspicazes.

Facebook Comments

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.