Qualidade à frente de quantidade, é o que procuramos à medida que a idade já não nos deixa cair que nem patinhas nas tendências que parecem oh-tão-giras nas montras.

Prefiro ter menos peças, mas melhores, com mais significado e possibilidades de combinação, do que uma montanha de roupa que só tem graça uma estação e depois não combina com mais nada. São estas peças que nos levam aos momentos “não tenho nada para vestir!”

Eu sou apaixonada pelos wardrobe classics, e eles já me dão muito que fazer, escolha não falta! Estou sempre à procura deles por todo o lado, vou substituindo uns por versões melhores,  criando autênticas coleções de outros (hello, marinieres) e compondo um guarda-roupa que evolui comigo, não envelhece.

Mas! Ir às compras, pelas montras, lá está, é uma constante tentação. Então, há 4 perguntas que podemos por a nós próprias antes de fazer uma compra, para que não seja uma compra impulsiva da qual nos venhamos a arrepender, mas sim uma adição de valor ao nosso guarda-roupa:

1 – Esta peça vai combinar com pelo menos 1/3 do meu roupeiro? Temos de nos treinar para, perante cada peça, termos presente o grosso do nosso roupeiro e logo ali, fazer o máximo de combinações possivel.

2 – Eu vou poder usar esta peça por 10 anos, se quiser? Ou daqui a um ano vai estar fora de moda e desactualizada? O corte, o material, os acabamentos e possíveis detalhes podem ditar se uma peça envelhece bem ou mal. Cuidado com padrões, aplicações, cortes “originais”.

3 – A qualidade do tecido é tão boa que eu vou poder lavar esta peça 50 vezes e não vai perder o formato e qualidade? 

4 – Esta roupa fica-me mesmo bem, favorece-me, apenas precisando quando muito de uns ajustes de costura? SEMPRE EXPERIMENTAR! E sempre ficar apaixonada pela forma como a peça nos fica, são passos essenciais para uma entrada nova no nosso guarda-roupa.

Se respondermos SIM a estas perguntas, deixo um desafio: ir para casa, esperar 24 horas e se, no dia seguinte, ainda quisermos comprar a peça, avançar sem medo!

Este quarto passo para mim é um problema, porque eu tenho o mau karma de, se eu bater os olhos numa peça que adore e não a comprar na hora, se lá voltar em meia hora, já lá não está. Por isso, o sim às três perguntas, para mim, é “leva na hora”!

Com estes passos, que com o tempo se tornam automáticos é rotineiros, o nosso estilo pessoal só tem a ganhar.

INSTAGRAM   |   BLOGLOVIN   |  FACEBOOK

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.