Uma das minhas maiores lutas, por pura perrice. Eu nunca precisei de dormir muito, até tinha insónias quando era mais nova, simplesmente porque não me fazem falta as 8 horas apregoadas.

Desde que tive filhos nunca mais tive insónias, mas nem por isso aproveitei o facto de eles dormirem muitíssimo bem para eu própria cuidar do meu sono. Pelo contrário, entrei numa espiral de violência contra o meu próprio corpo (e espírito) e fiz anos – ANOS! – de deitar-me tardíssimo, dormir duas horas, no dia seguinte aterrar no sofá à 22:30, acordar às 2:00, ficar a mandriar no sofá até às 6:00 e passar pelas brasas até às 8:00… no dia seguinte outra vez a mesma coisa, ou aterrar totalmente e acordar às 7:00 toda torta no sofá e arrastar-me para a cama, e no dia seguinte, uma directa. Uma loucura!

No ano passado já não aguentava mais este caos e comecei a fazer um esforço para contrariar estes mais hábitos. Foi uma luta, porque eu simplesmente aninhava-me no sofá e adormecia imediatamente, mas estou bastante melhor. Tento não adormecer no sofá, tento deitar-me pela 1:00, ler o meu livro e adormecer na cama, para uma noite completa, às escuras.

6 horas para mim são uma noite completa, sobretudo se forem todas as noites. A consistência é a chave, como em tudo o que tenha a ver com o nosso bem estar. Noto tanto a diferença! Na minha energia, paciência, concentração. Também noto imenso na minha pele, nota-se tanto como está menos baça, menos marcada nas olheiras, nos vincos.

Faz mesmo toda a diferença.

Facebook Comments

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.